icone Notícias

Desafios, foco e persistência

1 de março de 2016

marcelogallo

Estou no mercado a mais de 20 anos e já passei por diversos segmentos, bem como já vive os inúmeros desafios de mercado, sejam eles; dólar, retração, planos entre outros. Em cada um destes sempre ouvi que o mercado estava ruim, que o cenário não era bom, que o dólar estava alto ou a economia não estava bem.

Lógico que estamos passando hoje por uma junção de muitas coisas, mas principalmente da falta de políticas públicas claras, de um orçamento comprometido com o resultado do País; digo isso, pois quando somos empresários ou dirigentes de empresas somos de certa forma obrigados a ter orçamentos, planos estratégicos e metas, e através destas dirigirmos, organizamos e cumprimos o dia a dia dos nossos negócios. Conduzindo-os para um resultado positivo, gerando empregos, um ambiente de trabalho saudável, respeitando as individualidades e sendo politicamente correto.

Alguns setores estão bem avançados quanto ao modelo de gestão e processos de negócios, são setores maduros que já trabalham em cima de indicadores e de modelos de negócios, possuem base de informação e conseguem construir um plano com base nas vivências, nos acertos, nos erros e nas informações de mercado.

O que isso tem a ver com o setor de Food Service. Tudo.

Percebo no dia a dia o setor se mexendo para entender melhor a dinâmica deste mercado e se adaptando ao mesmo de forma que os negócios possam prosperar e crescer de forma sustentável.

Não é fácil, pois, de certa forma remamos contra grandes e fortes correntezas. São inúmeros os desafios e obstáculos, mas também são inúmeras as oportunidades que se criam ou se abrem em um mercado recessivo e em pleno amadurecimento.

O mercado de food service vem apresentando há muitos anos um crescimento bom, com sinais positivos, onde as oportunidades quando percebidas a tempo viram grandes negócios.

As oportunidades só viram bons negócios com um bom planejamento: através de pesquisa de mercado, orçamentos bem feitos, plano de marketing, capital de giro e com uma equipe bem treinadas e empenhadas em fazer dar certo. Um pouquinho de sorte ajuda.

Uma boa ideia, um bom ponto comercial e um bom produto, também depende de todos os fatores citados anteriormente entre outros. Digo isso, pois vejo muitos negócios montados ou baseados somente na oportunidade. Não adiantando investir num belo restaurante, fazer o melhor menu, ajustar o melhor serviço, sem ter processos bem definidos e pessoas bem treinadas para tocar e gerenciar estas operações.

A persistência no negócio faz parte do jogo, porém e preciso analisar cada momento do mesmo e realizar adaptações para ter sucesso. O ajuste do cardápio, da operação, da forma como se compra ou se distribui as mercadorias; tudo reflete diretamente na melhoria de sua operação, na qualidade do serviço ou do lucro do negócio.

Não é o momento de desistir e sim de repensar como as coisas estão sendo feitas, como podemos melhorar o nosso atendimento, o sabor da comida, os custos tendo em mente o que é preciso ser medido, criando indicadores para que se possa ter base, ter informação e saber o que fazer e o que não fazer.

Não adianta criar promoção, baixar os preços, diminuir equipes, esta pode não ser a saída e pode ser a morte do negócio.
Conheça o seu negócio, conheça sua operação, veja no dia a dia como as coisas acontecem e monte um plano de melhorias. Foque nos itens de maior relevância, se seu foco e fazer o caixa ficar positivo, foque em custos, em redução de desperdícios, em aumento de receitas em fazer mais com a mesma equipe.

  • O resumo:
    Não tem negócio fácil;
    Não tem segmento de mercado fácil;
    Não é fácil ganhar dinheiro;
    Empreender e ser persistente, ter foco, e vencer desafios

Invista no seu negócio e em você.

 

 

marcelo-gallo
Marcelo Gallo é sócio da ACOM Sistemas empresa especializada em sistema de gestão para Food Service e proprietário da DOMGALLO Gastronomia; participa também da Ziva Tecnologia e Ziva Empreendimentos.

Voltar

Deixe uma resposta